Quinta-feira, 26 de Abril de 2018

 

(Saulo Machado)

Coluna Saulo Machado jornal A Tribuna sexta feira 03 10 2014.

03 de Outubro de 2014



Debate

Já no último debate de ontem realizado pela rede Globo de Televisão, Dilma bateu forte em marina, que se defendeu, Aécio também atacou e foi atacado, com os demais candidatos passando ao largo. Levi Fidélis do PRTB manteve a opinião manifestada no debate anterior contra o casamento gay. Mesmo pressionado, não recuou um milímetro em relação as suas convicções.

Missão no final

Termina na próxima segunda feira o comando do vice – prefeito Rodrigo Turatti na prefeitura de Araranguá. Na segunda feira, após o primeiro turno das eleições, o prefeito Sandro Maciel retorna ao comando do passo municipal. Durante a semana, Sandro conversou com Turatti sobre a possibilidade de deixar o cargo alguns dias antes do previsto para que o presidente da câmara de vereadores Ozair da Silva, o banha, pudesse assumir. Acabara acordando que Banha deverá assumir a prefeitura numa próxima oportunidade, quando, prefeito e vice sairão em licença.

Ordem de serviço

Rodrigo teve a satisfação de assinar esta semana a ordem de serviço para o calçamento da rua de acesso a igreja da comunidade do Caverazinho, onde tem sua empresa, e a prorrogação do REFIS por mais 60 dias. No mais, esteve fora do gabinete acompanhando as obras em andamento, no exercício do poder.

Ordem assinada

Com a presença do governador em exercício, desembargador Nelson Scheffer Martins, foi assinada na manhã da última quarta-feira a ordem de serviço para a construção da Policlínica em Araranguá, anexo ao Hospital Regional. A obra deverá servir de modelo para as demais que o governo promete construir em outras regiões do estado. Muito embora a ordem de serviço tenha sido assinada na quarta feira, já na segunda feira, o canteiro de obras começou a ser instalado e a julgar pelo espaço demarcado, o Hospital Regional precisará de outro estacionamento.

Descontente

Por falar em Hospital Regional de Araranguá, ele foi citado no debate entre os candidatos ao governo do estado promovido esta semana pela RBS. Numa de suas respostas relacionada a saúde, governador Raimundo Colombo, afirmou que existem insatisfações que precisam ser corrigidas, incluindo o Hospital Regional de Araranguá. A falta de prestação de contas de forma transparente é um dos problemas. Outro é a auditoria feita por técnicos do próprio governo, que até agora ainda não apresentou os resultados. O prazo era de 60 dias. Até agora o SPDM vem recebendo R$ 2.600 milhões mensais, apresenta números satisfatórios, mas é clara a falta de resolução dos problemas de saúde atendidos no hospital. Os diagnósticos no pronto socorro ainda não tem a precisão necessária, e a espera continua sendo, por vezes, de mais de 4 horas, com muitos desistindo e procurando outro atendimento.

Em obras

O prefeito do Balneário Arroio do Silva Evandro Scaini, manteve o pé no acelerador em plena campanha eleitoral. Várias obras estão em andamento, entre elas, a quadra de esportes coberta, na praça central da cidade. A expectativa é de que a primeira etapa da reforma total da praça fique pronta ainda para a próxima temporada de veraneio. Outra obra importante em andamento é a extensão da avenida Florianópolis na direção da praia da Meta.

Expectativa

A grande expectativa de nossa região para o final de semana é em relação ao desempenho de nossos candidatos nas eleições. A AMESC tem Manoel Mota, José Milton Scheffer, Cabo Loro, Eder Matos e Eto Coral, como candidatos a deputado estadual. Jorge Boeira e Beto Coan, como candidatos a deputado federal. Muito embora Boeira tenha trocado seu domicilio eleitoral para Criciúma, continua sendo considerado um candidato da AMESC.

Manoel Mota

Candidato à reeleição pelo PMDB, o deputado estadual Manoel Mota aposta num último mandato, dos seis que já conseguiu. Perdeu muitos apoios de cabos eleitorais de seu próprio partido em sua região, mas afirma ter condições de recuperar a diferença em cidades de outras regiões, onde teria conseguido firmar seu mandato. A meta é alcançar 45 mil votos para buscar a reeleição.

José Milton Scheffer

Candidato à reeleição, José Milton Scheffer recebeu apoio praticamente total do PP em toda a região da AMESC. O fato de ter dobrado com Jorge Boeira na campanha, também deve alavancar sua candidatura. Ele trabalha com a forte expectativa de reeleição, mas sem muita tranquilidade.

Cabo Loro

O vereador Cabo Loro, candidato pelo PROS, apostou na campanha em Araranguá e Criciúma, fazendo em Araranguá campanha de casa em casa. Conseguiu chegar as cidades do vale do Araranguá e a Criciúma. Cabo Loro afirma ter conseguido ainda alargar sua campanha a outras regiões do estado, devido a sua condição de militar da reserva.

Eder Matos

Eder Matos, candidato pelo PR apresentou uma campanha ostensiva com excelente visibilidade. Centrou forças no movimento da igreja católica, onde é atuante, apresentou a proposta de uma rodovia que ligaria o litoral com a serra, com um traçado diferente do que já existe e apostou na experiência já vivida coo vereador em Meleiro.

Eto Coral

Candidato pelo PEN, Eto, apresentou uma campanha discreta com poucas chances de eleição. A campanha ficou centrada em Araranguá.

Beto Coan

Apresentado como candidato único do PDT em todo o estado, mas coligado com o PMDB, Beto Coan apresentou uma campanha de muito trabalho e busca de votos. Além de candidato único de seu partido, ele conta ainda com o apoio do ministro do trabalho Manoel Dias e afirma ter perspectivas de eleição.

Jorge Boeira

Agora candidato a reeleição, mas pelo PP, Jorge Boeira conseguiu, em pouco tempo, ficar à vontade dentro do novo partido. Encontrou seu espaço e ainda deverá ser beneficiado com a desistência do filho do deputado federal João Pizzolatti, também do PP. Boeira avalia positivamente suas atuações na área da educação e tem forte expectativa de reeleição.

Quando termina?

Existem obras em nossa região que são fenômenos a serem estudados. São obras, sobre as quais não existem dúvidas de sua importância, mas mesmo assim não saem do papel, ou simplesmente ficam anos a fio sem que seja terminadas. É o caso do prédio da câmara de vereadores do Balneário Arroio do Silva. Em construção há mais de dez anos, o prédio ainda não foi entregue e, é claro, não foi inaugurado. Problemas de toda a ordem no caminho da construção. Por fim, a empresa Camilo e Ghisi tocou a obra, mas ainda não terminou. Um exemplo de como uma obra não deve ser feita.

Será que passa?

Tenho a informação de que até o final do ano deve entrar na câmara de vereadores de Araranguá o pedido de liberação para a construção de um conjunto habitacional para famílias de baixa renda. O problema é que o projeto a ser apresentado, não obedece as regras mínimas de construção vigentes no município e nem de longe oferece as devidas condições da habitabilidade a cidadãos. São casas geminadas com uma metragem ínfima e ruas sem espaço suficiente para o transito de veículos. O projeto teria cunho político e interesse especifico na aprovação. Será que passa na câmara? Claro que todos os cidadãos precisam ter acesso a moradia, mas é preciso levar em conta, que tipo de moradia. Dignidade acima dos lucros, deveria ser palavra de ordem.

Previsão do tempo

Ronaldo Coutinho

Ouvir

Sua reportagem

Tem uma reportagem? Uma notícia de última hora? Envie para a Rádio Araranguá.

Envie sua reportagem

Colunistas

Repórter 1290

Por Lucas Casagrande

Acessar

Policial

Por Karin Mariana

Acessar

Esportiva

Por Jairo Silva

Acessar

Política / Geral

Por Saulo Machado

Acessar