Política Associação de Policiais Militares de SC busca garantir direitos dos associados

Associação de Policiais Militares de SC busca garantir direitos dos associados

26/01/2024 - 11h30

Em entrevista concedida à Rádio Araranguá, durante o programa Dia a Dia, apresentado por Saulo Machado, o presidente da Associação de Praças do Estado de Santa Catarina (Aprasc SC), Clailton Oliveira, enfatizou as ações que a associação está tomando para assegurar os direitos dos seus associados, especialmente no que diz respeito à proteção social e às condições de trabalho dos policiais militares e bombeiros militares do estado.

Durante a entrevista, Clailton destacou que a proteção social para os associados não entrou em vigor no ano anterior, mas está prevista para este ano. Ele informou que a associação está trabalhando ativamente nesse sentido, buscando inclusão de direitos adquiridos, benefícios para aqueles com grau acima e para pensionistas que perderam seus cônjuges.

“Protocolamos junto aos 40 gabinetes, também à Casa Militar, para ser entregue ao governador e aos comandos gerais, onde pedimos as sugestões para colocar nessa proteção social, que é o direito adquirido, o grau acima para quem perdeu, e as nossas pensionistas, que perderam o esposo e estão só com 60% do salário”, destacou.

Além disso, o presidente da Aprasc SC ressaltou as condições desafiadoras enfrentadas pelos profissionais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, destacando a falta de horários fixos e a necessidade de responder imediatamente às demandas da segurança pública. Ele também mencionou a preocupação com oito anos sem reajuste salarial, o que tem impactado significativamente a qualidade de vida desses servidores, alguns dos quais gastam quantias substanciais com medicamentos.

“Estamos trabalhando para isso seja contemplado. Estamos há oito anos sem reajuste salarial. Temos policiais que gastam mais de R$ 3 mil com medicação. São cidadãos que serviram 30 anos nossa população, merecem respeito”, acrescentou.

Oliveira enfatizou a importância de uma aposentadoria digna para os policiais militares, expressando a esperança de que o governo avalie cuidadosamente as demandas da categoria. Com cerca de 15 mil associados, a Aprasc SC busca garantir que esses profissionais sejam devidamente reconhecidos e respeitados pelo serviço prestado à população catarinense ao longo dos anos de suas carreiras.

“Esperamos que o governador avalie bem. Queremos que nossos policiais tenham uma aposentadoria digna. Na hora de descansar e aproveitar a aposentadoria, eles precisam voltar a trabalhar, porque com o que plantaram durante anos de carreira, não estão conseguindo sobreviver. São 15 mil associados, o governo precisa avaliar isso. Esses profissionais precisam ser respeitados”, finalizou.