Agronegócio Cadeia produtiva da pecuária é destaque no Sul de Santa Catarina

Cadeia produtiva da pecuária é destaque no Sul de Santa Catarina

09/05/2024 - 07h36

No programa A Força do Campo, conduzido por Alaor Alexandre na Rádio Araranguá, o médico veterinário da Cidasc e coordenador regional de Defesa Sanitária Animal, José Henrique de Oliveira, abordou os desafios enfrentados e a evolução da cadeia produtiva da pecuária na região Sul do estado.

Henrique destacou inicialmente a relevância da avicultura na região, especialmente a avicultura de corte, que conta com duas plantas frigoríficas e três incubatórios. Além disso, mencionou a avicultura de reprodução, responsável pela produção de matrizes e ovos para consumo humano, abrangendo cerca de 84 propriedades. No entanto, ressaltou que a produção de bovinos também é significativa, tanto para corte quanto para leite, sendo esses os principais pilares da pecuária local.

“Aqui no Sul temos algumas características importantes na pecuária. O destaque vai para a avicultura de corte, onde a produção conta com maior estrutura, sendo duas plantas frigorificas e três incubatórios. Outro ponto forte é a produção bovina, que concentra grande produção na região. Nossa grande força na pecuária se concentra nesses dois aspectos”, destacou.

Ele enfatizou o papel das empresas que impulsionam a produção na região, tornando-a robusta. No entanto, apontou que a falta de frigoríficos com inspeção federal gera dificuldades logísticas, afetando principalmente a produção de bovinos para corte. Henrique expressou a necessidade de mais frigoríficos, destacando que isso beneficiaria significativamente a cadeia produtiva.

“Temos grandes criadouros, que impulsionam a região. O bovino de corte é uma cultura que independe de uma empresa por trás. Temos alguns frigoríficos que possuem inspeção estadual, mas nenhum federal. Isso traz um pouco de dificuldades de logística. Se tivéssemos mais frigoríficos seria muito melhor para a produção”, explicou.

Quanto às ações da Cidasc, Henrique mencionou os trabalhos de vigilância ativa e passiva realizados na avicultura e na pecuária bovina. “Além de fornecer orientações, a Cidasc realiza pesquisas e colheitas periódicas em busca de doenças, contribuindo para a prevenção e controle de enfermidades que possam afetar o rebanho”, ressaltou.

Para entrar em contato com a Cidasc, basta o produtor acessar o site.