Geral Com R$ 60 no bolso e um sonho, seu Luiz do Churrasquinho tornou-se referência em Araranguá

Com R$ 60 no bolso e um sonho, seu Luiz do Churrasquinho tornou-se referência em Araranguá

09/05/2024 - 08h02

Em uma entrevista exclusiva à Rádio Araranguá, no programa 95.5 Entrevista, o convidado especial foi Luiz Artur Passo Ferreira, mais conhecido como Luiz do churrasquinho. Sua história é marcada por desafios, mas também por determinação e sucesso, tornando-se um exemplo de superação para a comunidade local.

Natural de Alegrete, no Rio Grande do Sul, Luiz embarcou em uma jornada em busca de melhores oportunidades para sua família. Inicialmente, estabeleceu-se na Praia do Pinhal, onde montou uma mercearia com o objetivo de garantir seu sustento e o de seus entes queridos. No entanto, a violência na região tornou seu comércio insustentável, forçando-o a buscar novos horizontes.

“Fui criado pela minha vó. Ela que moldou meu caráter e me tronou o homem que sou hoje. Como todo jovem, sempre quis ser jogador de futebol. Tive a oportunidade de jogar no Internacional, mas devido a um problema no joelho acabei desistindo. Durante 20 anos trabalhei com identidade visual. Até que surgiu a oportunidade para montar o mercadinho. Foi um bom período, até que um dia fui assaltado. Foi um verdadeiro trauma. Com uma arma apontada para minha cabeça, decidi deixar o mercadinho devido a violência que havia naquele local”, destacou.

A trajetória de Luiz o levou a Santa Catarina, mais precisamente a Itajaí, onde enfrentou dificuldades para encontrar moradia. Sua determinação foi testada quando uma enchente assolou a cidade, colocando-o diante de mais um desafio.

“Chegando em Itajaí, com apenas R$ 60 reais no bolso, passei por muitas dificuldades para encontrar uma moradia. Logo após isso, veio uma enchente e acabou com toda a cidade. Nesse período surgiu a oportunidade de vir a Araranguá”, relembrou.

Foi então que Luiz e sua família chegaram a Araranguá, com poucos recursos financeiros, mas repletos de sonhos. Diante da necessidade de se reinventar, ele decidiu ouvir sua intuição e investir na comercialização de churrasquinhos.

“Conversando com uma lojista, a mesma me ofereceu próximo ao seu estacionamento no Centro da cidade, o ponto para vender meus churrasquinhos. Foi aí que surgiu o Luiz do churrasquinho. Nunca tive vergonha de ganhar dinheiro. Levava de bicicleta o churrasquinho nos estabelecimentos. Até de ônibus, eu e minha esposa fomos para a praia vender. Aos poucos o negócio foi acontecendo, ganhando proporção. Com isso, conheci muitas pessoas. Através do trabalho, conquistei minha família, que é minha maior riqueza”, ressaltou.  

Essa escolha se revelou um acerto, e Luiz do churrasquinho rapidamente se tornou uma referência na cidade. Seu empreendimento não apenas lhe proporcionou autonomia financeira, mas também conquistou o paladar dos moradores locais, que reconhecem a qualidade de seus churrasquinhos.

“Graças ao churrasquinho, conquistei todo meu patrimônio. Claro, foi um dinheiro muito bem administrado. As pessoas precisam aprender a administrar seus recursos. Alcancei carros, constituiu minha família e hoje, vivemos muito bem. A simplicidade e o amor é a chave do negócio. Atendemos todo tipo de pessoa, do rico ao pobre, nosso tratamento é sempre o mesmo”, enfatizou.

A história de Luiz é um testemunho vivo da importância da resiliência, da persistência e da fé nos próprios sonhos. Sua determinação em superar obstáculos e transformar desafios em oportunidades é um exemplo para quem deseja empreender.

“A chave do sucesso é a persistência. Quando o negócio não dá certo no primeiro dia, não podemos desistir. A chave não vira de uma hora para a outra. Tudo é um processo e não podemos desanimar. Precisamos focar em algo e ir até o fim. Além disso, não podemos jamais pisar em alguém. No início, vendia 16 churrasquinhos por dia. Hoje, vendemos 250”, concluiu seu Luiz.