Segurança Discreto, atento e competente, Diego Archer de Haro conta sobre sua vida

Discreto, atento e competente, Diego Archer de Haro conta sobre sua vida

29/11/2023 - 23h04

Ele estudou nos educandários mais tradicionais de Florianópolis, os Colégios Menino Jesus e Catarinense. O hoje Delegado Regional de Araranguá, Diego Archer de Haro, que tem 46 anos, também nasceu e residiu boa parte de sua vida na Capital de Santa Catarina e foi nosso convidado no programa 95.5 Entrevista dessa quarta-feira, 29.

“Em 1993, quando eu me formei no Terceirão, não tinha essa internet rápida que temos hoje, com tantas informações de frações de segundo. Digo isso porque o que tínhamos eram livros e conversas com parentes, amigos e professores. Então, naquela época, eu simplesmente não sabia o que fazer. E por influência de uma prima eu acabei fazendo vestibular para odontologia. Não passei. Mas, por sorte, depois disso alguém me deu a ideia de fazer um teste vocacional”, lembra.

Essa etapa foi fundamental na sua carreira. Na Universidade Federal de Santa Catarina, essa prova foi realizada e foi um divisor de águas na vida desse “Manezinho”, indicando que ele deveria fazer graduação das áreas de Ciências Jurídicas ou Sociais. Assim ele procedeu e acabou formado em Direto pela Universidade do Vale do Itajaí em 1999.

“Eu terminei a faculdade, fiz a prova da OAB, passei e já fui advogar porque eu não tinha condições de somente continuar estudando para tentar passar em um concurso público”, conta Diego. Nessa rotina, ele prestou concurso para Juiz em 2001. Ficou muito perto de conseguir, chegando, inclusive, até próximo da prova oral.

Meses depois, um amigo seu ligou o convidando para fazer concurso público para Delegado de Polícia Civil. Como já estava embalado nos estudos, nosso entrevistado aceitou a missão. Ele e o amigo conseguiram passar com sucesso em todas as provas e se habilitaram à Academia de Polícia. Finalizou a formação e iniciou a vida policial.

Assumiu o cargo de delegado de polícia em 2003, com sua primeira lotação em Turvo. Depois, trabalhou em Jaraguá do Sul, Criciúma, e hoje atua regionalmente, baseado em Araranguá. Recentemente, aperfeiçoou-se com um curso do FBI, em Gramado, na Serra Gaúcha.

Em detalhes, confira essa entrevista completa: