Geral Equoterapia em Araranguá: cavalos ajudam na recuperação de pacientes

Equoterapia em Araranguá: cavalos ajudam na recuperação de pacientes

29/02/2024 - 14h35

Você sabia que cavalos podem ajudar na recuperação de pacientes, e que são uma ótima opção de terapia? A equoterapia, segundo o Ministério da Saúde, é um método terapêutico que utiliza o cavalo por meio de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais.
É uma forma de reabilitação baseada na neurofisiologia tendo como base os padrões de movimentos rítmicos e repetitivos da marcha do cavalo. Ao caminhar, o centro de gravidade do cavalo é deslocado tridimensionalmente, resultando em um movimento similar ao da marcha humana com movimentos alternados dos membros superiores e da pelve.
Em Araranguá, o Haras oferece o serviço para alunos da Apae e o equoterapeuta, Ramon Deivis da Silva, explica os benefícios desta modalidade de terapia. “O cavalo é usado como um agente facilitador na terapia. O passo do cavalo proporciona benefícios enormes para as crianças, como fortalecimento muscular e aumento da coordenação motora entre outros”.
A equoterapia pode ser preventiva e também como tratamento para diversas doenças, síndromes e transtornos. Sobre o resultado que os praticantes identificam, Ramon destaca. “Quando conversamos com os pais são estabelecidos objetivos a curto, médio e longo prazo, de acordo com as queixas principais que eles têm. Dentro dos resultados os pais chegam com seus propósitos: eu queria que meu filho melhorasse a fala, ou melhorasse o controle de tronco ou cervical, que tivesse uma coordenação motora mais avançada”. Identificado os problemas se inicia o trabalho dentro daquilo que os pacientes demandam. “Então trabalhamos em cima do que os pais pedem, e os resultados as vezes são imediatos. Por exemplo, uma criança que é hipotônica (diminuição do tônus muscular) quando você a posiciona em um cavalo com uma sela e manta adequada e faz os ajustes necessários, o controle e a postura da criança já melhora imediatamente. Quando ela desce do cavalo ela consegue manter um pouco, mas se faz necessário manter a terapia”, completa.
Sobre as doenças com indicações de terapia com cavalo o Ministério da Saúde lista:
– Doenças genéticas, neurológicas, ortopédicas, musculares e clínico-metabólicas;
– Sequelas de traumas e cirurgias;
– Doenças mentais, distúrbios psicológicos e comportamentais;
– Distúrbios de aprendizagem e de linguagem.

O Haras Araranguá fica localizado na rua Valdemar Nestor Inácio, 1117 no Bairro lagoa da Serra, mais informações no @harasararangua