Geral Mastella: o narrador que começou na sala dos pais e viralizou na Argentina, Espanha e Itália

Mastella: o narrador que começou na sala dos pais e viralizou na Argentina, Espanha e Itália

26/06/2024 - 09h57

No programa 95.5 Entrevista da Rádio Araranguá, Mateus Mastella, conhecido por sua irreverência e inovação, compartilhou detalhes de sua inspiradora trajetória na comunicação e narração esportiva. Natural de Criciúma, Mastella tem se destacado por transformar a forma como os jogos do Criciúma Esporte Clube são transmitidos, conquistando fãs e seguidores de todos os lugares do Brasil e do mundo.

Filho de Adjalma Mastella e Rosemere Gonçalves Mastella, Mateus iniciou sua carreira na comunicação em 2010. Sua entrada na narração esportiva aconteceu em 2018, marcando o início de uma nova era nas transmissões esportivas da região. Ele estudou na Escola Básica Serafina Millioli Pescador e no Colégio São Bento, e concluiu seu curso superior em Jornalismo na SATC, instituição que foi fundamental para sua formação profissional.

“Quando criança, eu sempre fui muito grudado no rádio. Existe uma filmagem do meu pai em que, aos dois anos de idade, eu já estava ao lado do rádio. Essa paixão vem desde o berço, mas não gostava de futebol. Até que um dia fui cortar o cabelo e fiquei ouvindo no carro uma narração do Criciúma. Foi nesse momento que despertei para o esporte. A partir daí, iniciou-se minha trajetória no jornalismo, migrando para o esportivo. Meu primeiro emprego foi fazer a assessoria do prefeito, até chegar ao futebol. Em 2014 eu já era setorista do Criciúma. Na oportunidade, me enviaram para o Rio de Janeiro para fazer um jogo entre Flamengo e Criciúma. Essa foi minha primeira transmissão”, destacou Mastella.

Empreendedorismo

Demonstrando espírito empreendedor, Mastella cofundou o canal de transmissão de jogos “Tabelando” ao lado de seu sócio Emerson Crippa. Juntos, eles buscaram inovar e oferecer uma experiência diferenciada aos torcedores do Criciúma Esporte Clube. “A irreverência é uma das minhas marcas registradas. Eu sempre quis fazer algo diferente, que chamasse a atenção e envolvesse o público de uma maneira única”, disse Mastella.

“Assistindo uma transmissão na Rádio Tupi pelo Facebook, observei o pessoal na cabine filmando tudo e gostei daquilo. Foi quando tive a ideia de trazer o mesmo modelo para Criciúma em 2017. Adquirimos os equipamentos e, faltando uma semana para um jogo do Tigre, fui até o portal Engeplus falar com a direção e mostrar o projeto. Logo de início aceitaram, e com isso, iniciou-se nossas narrações. A primeira transmissão foi muito difícil, mas deu certo. Com o passar do tempo, as coisas foram se ajustando e hoje estamos aí, com o Tabelando. Meu primeiro salário proveniente do negócio veio apenas em 2020. Logo em seguida veio a pandemia”, ressaltou.

Estilo e bordões

Inspirado por grandes nomes da narração esportiva como José Silveiro, Miguel Livramento e Roberto Alves, Mastella desenvolveu seu próprio estilo, marcado por sua paixão e versatilidade ao microfone. Um de seus bordões mais conhecidos, “Homens de pouca fé”, acabou sendo transformado em “homens de muita fé” pelo goleiro Gustavo do Criciúma, e é usado até hoje pelo narrador.

“Nossa espontaneidade fez a diferença. Começamos narrando na sala da casa do meu pai. Me lembro de uma transmissão onde o Tigre venceu o Joinville por 1 a 0 e nosso repórter disse que ia para a zona, essa fala repercutiu muito e as pessoas riam muito com a gente e se identificavam com as transmissões”, relembrou Mastella.

Sucesso e reconhecimento

Mateus já viralizou em diversos momentos, transformando-se em meme até mesmo fora do Brasil, em países como Argentina, Portugal, Espanha e Itália. “Sem dúvidas a transmissão que mais repercutiu foi a que xinguei o time do Criciúma. O jogo era entre Figueirense e Criciúma, pela Série B do Brasileirão. O Figueira estava vencendo por 1 a 0 já, até que ampliou fazendo 2 a 0. Aí perdi as estribeiras e mandei os jogadores tudo à merda. Vale lembrar que o Tigre empatou esse jogo ainda. No outro dia, em um jogo do Caravaggio que fui fazer, as pessoas começaram a pedir foto e me parabenizar pela narração. A partir daí, estourou, não se falava mais nada nas redes sociais. Todos os programas esportivos começaram a publicar e falar sobre o assunto”, relembrou.

Outra narração que faz parte de sua carreira foi quando o Criciúma subiu para a Série A. “Nesse dia minha emoção foi muito forte. Fiz aniversário nesse dia e pedi minha esposa em casamento. Chorei muito, foi um momento muito forte. Criamos uma relação muito boa com os jogadores. Não estamos fazendo papel de assessoria, porque também cobramos. Mas as pessoas gostam muito. Estamos no caminho certo”, explicou.

Apesar de toda a repercussão, Mastella se considera uma pessoa tímida, mas reconhece à proporção que o Tabelando vem ganhando. “Me considero uma pessoa tímida, mas quando estou diante do microfone, deixo a timidez de lado e me transformo em um narrador apaixonado pelo que faço”, concluiu Mastella.