Política Presidente da Câmara de Vereadores de Turvo diz que pode deixar o PP, caso o partido faça parte do governo Lula

Presidente da Câmara de Vereadores de Turvo diz que pode deixar o PP, caso o partido faça parte do governo Lula

16/11/2022 - 10h27

Na sessão da última segunda-feira, 14, o presidente da Câmara de Vereadores de Turvo, Samuel Neoti, do Partido Progressista, utilizou os microfones da casa ao final dos trabalhos para expor o seu posicionamento sobre a possibilidade de sua sigla passar a fazer parte da base de apoio ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que assume o mandato no próximo dia 1º de janeiro.

Depois que se envolveu em uma espécie de polêmica, quando na sessão anterior, condenou as famosas listas de pessoas físicas e jurídicas identificadas com o Partido dos Trabalhadores ou “de esquerda”, Samuel resolveu se manifestar novamente.

Segundo ele, o que condena é a exposição de nomes de empresas ou prestadores de serviços que têm em seu ofício o seu único ganha pão e que ainda, em suas manifestações podem ter sido mal interprestadas. Neoti, contudo, reafirmou o seu apoio às manifestações que estão ocorrendo na região e no país por parte de simpatizantes do atual presidente Jair Bolsonaro. E foi além.

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores de Turvo, caso o PP receba o convite e aceite fazer parte da base de sustentação ao governo petista a partir de 2023, ele afirma que poderá deixar a sigla.

“Já comuniquei isso ao presidente do partido, o Carlos Everaldo De Stefani. Contudo, afirmo que mesmo isso acontecendo, continuarei junto com o a administração de Sandro Cirimbelli e Osvaldo Favaro.”, pontua ele.

Para falar sobre esse assunto, o comandante do Poder Legislativo turvense concede hoje uma entrevista ao programa “O Dia em Notícia”, da Rádio Araranguá, com início às 16h.