Geral Professores da Escola Maria Gracia Pessi aderem à greve estadual e anunciam paralisação parcial a partir de segunda-feira

Professores da Escola Maria Gracia Pessi aderem à greve estadual e anunciam paralisação parcial a partir de segunda-feira

25/04/2024 - 20h38

Nesta quinta-feira, dia 25, parte do corpo docente e administrativo da Escola de Educação Básica Professora Maria Gracia Pessi, publicou uma carta aberta direcionada aos pais e alunos da instituição, informando sua decisão de aderir à greve dos professores estaduais a partir da próxima segunda-feira, dia 29 de abril.

A carta, assinada por um grupo significativo de profissionais da escola, destacou as razões por trás da decisão de suspender as atividades docentes, administrativas e pedagógicas. Os professores expressaram sua frustração com o fracasso das negociações com o governo, que, segundo eles, não resultaram em avanços significativos em relação às demandas da categoria.

“Estamos cientes dos transtornos que a interrupção de nossas atividades causa na rotina semanal dos nossos alunos e suas famílias. No entanto, essa decisão vem após um longo período de negociações iniciadas no ano passado entre nossos representantes e o Governo, infelizmente sem qualquer avanço”, afirmam os professores na carta.

Entre as demandas dos profissionais da educação, destacam-se a valorização da carreira do professor e a realização imediata de concursos públicos para atrair os melhores profissionais para a área. Os professores argumentam que tais medidas são essenciais para garantir a qualidade da educação oferecida aos alunos, reduzindo a rotatividade de profissionais e promovendo um ambiente de aprendizado consistente.

A greve estadual da categoria está prevista para ser por tempo indeterminado, até que suas reivindicações sejam atendidas pelo governo. Os professores esperam que sua ação chame a atenção para as questões urgentes enfrentadas pelos profissionais da educação e que medidas concretas sejam tomadas para melhorar as condições de trabalho e a qualidade da educação em Santa Catarina.

Confira a carta: