Geral Prova de Vida do INSS: o que o segurado precisa saber para não ficar sem o benefício  

Prova de Vida do INSS: o que o segurado precisa saber para não ficar sem o benefício  

08/02/2023 - 15h29

A Prova de Vida é a comprovação anual de que a pessoa que recebe benefício do INSS está viva.

A partir de 2023, o INSS passa a ser responsável por comprovar se a pessoa está viva ou não. Resumidamente, isso será feito utilizando um sistema de comparação de informações em diferentes bancos de dados.

Os dados são os seguintes:

Acesso ao aplicativo “Meu INSS”;

Realização de empréstimo consignado com reconhecimento biométrico, atendimento junto ao INSS nas agências, 135 ou via site “Meu INSS”;

Vacinação;

Órgãos de trânsito ou segurança pública;

CadÚnico, votação nas eleições;

Emissão/renovação de documentos;

Recebimento do pagamento de benefício com reconhecimento biométrico;

E declaração de Imposto de Renda, como titular ou dependente.

Vacinação

Um exemplo é a pessoa que toma uma vacina contra a gripe num posto de saúde da rede pública. Ao receber essa informação, o INSS tem o indicativo de vida do beneficiário. Tal indicativo servirá para compor um “pacote de informações” sobre a pessoa. Esse “pacote de informações” reunirá diversas ações da pessoa, registradas ao longo do ano, nos diferentes bancos de dados dos parceiros. Quando o total de ações for suficiente, o sistema considerará a Prova de Vida realizada, garantindo a manutenção do benefício até o próximo ciclo.

A contar da data de aniversário do titular do benefício, o INSS terá 10 meses para comprovar a vida da pessoa.

Caso o INSS não consiga reunir informações suficientes de comprovação de vida nesse período, o segurado ainda terá mais 60 dias (dois meses) para comprovar que segue vivo.

A pessoa poderá acessar o “Meu INSS” ou ligar para o telefone 135 para verificar a data da última confirmação de vida feita pelo INSS.

Apesar de não ser mais obrigatória, a pessoa poderá fazer a sua prova de vida indo a uma agência da rede bancária ou usando o “Meu INSS”.

O beneficiário será notificado via “Meu INSS” e Central 135 e/ou notificação bancária para que realize algum ato de forma que seja identificado em alguma base de dados.

Reforçando que o segurado terá 60 dias, após a emissão do comunicado, para regularizar a situação pelo “Meu INSS”.

Se nesse prazo não for identificada a prova de vida do aposentado, o INSS programará a vista de funcionário do órgão, devidamente identificado, na residência do beneficiário. É importante que o endereço e o contato do segurado estejam sempre atualizados no “Meu INSS”.