Agronegócio Safrinha de soja na região Sul Catarinense alcança produtividade notável

Safrinha de soja na região Sul Catarinense alcança produtividade notável

29/04/2024 - 07h54

Engenheiro agrônomo da Cooperja destaca a consolidação da prática e os desafios enfrentados pelos produtores locais.

Em uma entrevista exclusiva concedida à Rádio Araranguá, no programa A Força do Campo, o engenheiro agrônomo e consultor técnico da Cooperja, Jordanis Hoffmann, compartilhou detalhes sobre a safrinha de soja na região Sul Catarinense. Hoffmann destacou não apenas o sucesso da prática, mas também os desafios enfrentados pelos produtores locais.

A safrinha de soja, segundo Hoffmann, tornou-se uma prática generalizada em praticamente todos os municípios da região. Ele enfatizou que essa atividade tem se mostrado uma fonte de renda bastante considerável para os produtores, alcançando uma produtividade média de mais de 70 sacas por hectare.

“O cultivo da safrinha de soja já está bem consolidado em nossa região. Realizamos ensaios regionais para validar as cultivares mais adequadas, visando maximizar a produtividade”, afirmou Hoffmann durante a entrevista.

Além disso, o engenheiro agrônomo ressaltou a importância da assistência técnica fornecida aos produtores durante todo o ciclo da safrinha. “Apesar do nome ‘safrinha’, a prática tem gerado resultados bastante significativos. A equipe da Cooperja não apenas mapeia as áreas de cultivo, mas também orienta os produtores, buscando otimizar a produção e minimizar possíveis perdas”, ressaltou.

Ao discutir o potencial de produção da safrinha de soja, Hoffmann mencionou que, com a genética certa das sementes, é possível alcançar um potencial acima de 150 sacas por hectare. No entanto, ele reconheceu que há uma forte dependência das condições climáticas, bem como de fatores como pragas e qualidade do solo. Por isso, a equipe da Cooperja desenvolve práticas para combater pragas e proteger a produção.

“Nossa equipe realiza ensaios regionais para validar as cultivares mais adequadas. Temos uma produtividade acima de 70 sacas durante a safrinha. Além do nosso mapeio, no que diz respeito ao cultivo, orientamos o produtor. Razão pela qual temos obtidos resultados interessantes. Além disso, existe a adesão ao índice tecnológico por parte dos agricultores”, explicou.

Hoffmann também abordou os desafios enfrentados pelos produtores, incluindo o ataque de percevejos, lagartas, ácaros e pragas como a mosca branca. No entanto, ele enfatizou que a equipe está constantemente desenvolvendo e implementando estratégias para combater essas pragas e garantir a saúde das plantações.

Fotos: Gabriel Munari