Geral SC em alerta: dengue mobiliza ação de incentivo do Estado aos municípios no enfrentamento da doença

SC em alerta: dengue mobiliza ação de incentivo do Estado aos municípios no enfrentamento da doença

11/04/2024 - 13h20

A situação da dengue em Santa Catarina permanece alarmante, com o registro de 75 óbitos pela doença até o momento. Diante desse cenário preocupante uma ação do Estado, que visa incentivar os municípios no enfrentamento da doença, está sendo realizada.

Em entrevista concedida à Rádio Araranguá, no programa Dia a Dia, apresentado por Saulo Machado, o biólogo da Regional de Saúde, Fábio Sabino, e o coordenador Regional da Defesa Civil, Rodrigo Rafael, discutiram as medidas adotadas pelo governo do Estado e as propostas destinadas aos municípios para lidar com a dengue.

“A mobilização, que foi proposta nesta semana, se dirige aos municípios para que incentivem o cidadão na conscientização sobre a dengue. O principal feito que trará resultados é o cidadão no dia a dia, se cuidando e eliminando todo e qualquer possível criadouro. Tudo que é inservível deve ser descartado. Se cada um cuidar de seu imóvel, o efeito será muito positivo”, destacou Fábio.

O biólogo ressaltou a importância da conscientização da população no combate à dengue, ressaltando que a eliminação de possíveis criadouros é fundamental para conter a proliferação do mosquito transmissor. “São mais de 40 mil casos registrados da doença este ano no Estado. Por isso, a necessidade de precaução diante do grave quadro. Precisamos da colaboração de todos”, acrescentou.

Por sua vez, Rodrigo Rafael explicou o papel da Defesa Civil na coordenação das operações relacionadas à dengue, visando a mobilização e organização das instituições envolvidas nesse contexto. “Nosso papel como Defesa Civil é coordenar instituições que trabalham nesse contexto. Estaremos coordenando todas as operações relacionadas a dengue”.

Fábio Sabino reiterou a importância da higienização e limpeza das áreas para prevenir a reprodução do mosquito, destacando que os ovos podem permanecer viáveis por até um ano e meio.

“Toda atenção é pouca, visto que os ovos podem durar cerca de um ano e meio. Por isso a higienização é muito importante. As pessoas precisam entender a necessidade de realizar a limpeza das suas áreas. Todo recipiente que permanece com água no período de sete dias, pode ser um possível criadouro”, alertou Fábio.

Ele também enfatizou o suporte do Estado aos municípios nas ações de coleta e descarte, enfatizando que a resolução do problema é uma responsabilidade compartilhada. “O Estado está disponibilizando todo o suporte necessário para os municípios realizarem essas ações de coleta. Se trata de uma luta de todos nós. Desde a coleta até o descarte, nossa equipe realiza o serviço. A resolução do problema é de todos”, relatou Fábio.

Situação estadual

O informe epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES), através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), nesta quarta-feira, 10, mostra que os casos prováveis de dengue (132.842) tiveram um aumento de 165,7% no ano de 2024 em comparação com o mesmo período do ano passado. No total, 270 municípios registraram casos prováveis de dengue e 75 óbitos foram confirmados para a doença.