Geral Uma vida dedicada ao sacerdócio: conheça um pouco da história de Jonas Emerim Velho, padre, pároco e reitor em Araranguá

Uma vida dedicada ao sacerdócio: conheça um pouco da história de Jonas Emerim Velho, padre, pároco e reitor em Araranguá

21/06/2024 - 08h47

Em uma entrevista especial ao programa 95.5 Entrevista da Rádio Araranguá, o pároco e reitor da Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens em Araranguá, padre Jonas Emerim Velho, compartilhou um pouco de sua trajetória de vida e vocação.

O sacerdote nasceu em 17 de janeiro de 1990, na cidade de Osório, Rio Grande do Sul. Embora nascido em Osório, seu batizado e criação ocorreram em Santa Rosa do Sul, cidade natal de seus pais. Ele é o caçula de uma família com quatro irmãos. Sua vocação religiosa se manifestou cedo, aos 14 anos, e aos 15 anos ele ingressou no Seminário Nossa Senhora do Caravaggio, em Nova Veneza, onde também completou o ensino médio, seguido pelo seminário propedêutico e toda a formação sacerdotal.

“Até aos 14 anos nunca havia pensado em ser padre. Porém, um dia na escola, um colega havia ido fazer um seminário e voltando do curso, me mostrou as fotos daquele seminário. Aquilo mexeu comigo. Com isso, chegou o momento em que tive que ir até meus pais e contar o desejo de ingressar nessa vocação. De início não foi muito fácil, mas sempre tive o apoio da família. Até pensaram que eu não suportaria e voltaria para casa, porém, nunca mais voltei. Sempre fui muito convicto de minhas decisões. Apesar de muito jovem na época, não restava dúvidas, era aquilo que eu queria”, destacou.

Seus estudos de filosofia foram realizados em Brusque e os de teologia em Florianópolis. Foi ordenado padre em 8 de outubro de 2016, em Santa Rosa do Sul. Desde então, Padre Jonas acumulou diversas funções e responsabilidades na sua carreira sacerdotal. Ele foi vigário paroquial em Jacinto Machado e na Paróquia Santo Antônio de Pádua de Sombrio, além de ter sido pároco da Paróquia João Paulo Segundo, também em Sombrio. Durante três anos, ele atuou como coordenador diocesano de pastoral na Diocese de Criciúma, período em que também concluiu seu mestrado e doutorado em teologia pela PUC de Porto Alegre.

“Minha ordenação foi muito especial. Foram muitos anos de preparação e seminários. Fui diácono durante alguns meses. Após isso, virei padre e sem dúvidas é algo único. A partir daí, iniciou minha trajetória como padre. Foram muitas experiências vivenciadas. Passamos por alguns locais e quando fui convidado para ingressar nos estudos, era um grande desafio, porque o mesmo, acontecia na PUC de Porto Alegre. Porém, com a pandemia, as aulas passaram a ser a distância”, ressaltou.

Desde agosto do ano passado, o padre Jonas é o pároco e reitor da Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens em Araranguá, onde continua a desempenhar um papel importante na comunidade católica local.

“Onde chegamos somos bem recebidos e aqui em Araranguá, não foi diferente. Chegando na paróquia, nos deparamos com a festa de Nossa Senhora Mãe dos Homens, que foi um momento muito especial. O povo araranguaense é muito receptivo. A vocação de ser padre é um chamado e esse, exige muito de nosso emocional e intelectual. Atendemos todo tipo de pessoa. No mesmo dia em que celebramos um aniversário, estamos em um velório. Nossa vida é isso e o nosso maior objetivo é evangelizar o maior número de pessoas possível”, concluiu o padre.

Confira a entrevista completa: