Política Zé Milton critica MP que autoriza a importação de arroz

Zé Milton critica MP que autoriza a importação de arroz

23/05/2024 - 16h39

Em entrevista à Rádio Araranguá o deputado estadual José Milton Scheffer manifestou a sua insatisfação perante a decisão do Governo Federal de importar arroz de outros países. Segundo a União o objetivo é enfrentar as consequências das enchentes no Rio Grande do Sul, sendo que o estado é o principal produtor do grão no País. “Estou trabalhando no sentido de proteger o agricultor de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul dessa importação que é inoportuna e que vem prejudicar o produtor”, comenta o deputado.

Segundo José Milton, a safra de arroz já havia sido colhida no Rio Grande do Sul, e 84% já está estocada em propriedades de engenho de arroz e em cooperativas. Já em Santa Catarina 100% da safra já está armazenada e protegida, e não há risco de desabastecimento. “Então não houve um prejuízo, no RS falta colher um pouco mais de 20%, um pouco disso foi perdido, porém, foi aumentado a área plantada em 10%, do ano passado para essa safra. E a outra área não foi atingida pelas enchentes, então não houve um prejuízo forte, o que nos temos neste primeiro momento é que rodovias de lá não permitem que o arroz escoe”, destaca.

Sobre a medida provisória que que permite a importação de arroz de países asiáticos o deputado se diz contra.  “O produtor de arroz de Araranguá para vender o arroz dele vai pagar imposto, agora o arroz da Tailândia e de outros países entram com zero imposto aqui, sendo assim vai derrubar os preços que já não subiram. Se o arroz subiu na prateleira, é por conta do comércio varejista, por que para o produtor de arroz o preço não subiu, ele está estacionado já há algum tempo. Agora se essa MP se concretizar de trazer arroz de fora, irá fazer com que o nosso agricultor pague uma conta que não é dele, por que o preço do arroz para o agricultor vai cair”. É isso que estou defendendo aqui, que nossos agricultores não sejam vítimas”, destaca.

O deputado finalizou dizendo que é o momento de proteger os agricultores e fortalecer a economia.