Geral Avanço na imunização: secretaria de Saúde de Araranguá investe em câmaras frias para armazenamento de vacinas

Avanço na imunização: secretaria de Saúde de Araranguá investe em câmaras frias para armazenamento de vacinas

08/01/2024 - 14h23

A Secretaria de Saúde de Araranguá, atendendo a normativa do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, substituiu refrigeradores de uso doméstico, por nove câmaras refrigeradas. Essa troca foi primordial para manter a potência e a qualidade das vacinas, desde a fabricação até a sua aplicação.

O armazenamento mantém a refrigeração em temperaturas de 2°C a 8°C. Além disso, possui bateria estacionária, a qual permite na falta de energia elétrica, manter a temperatura em até 12 horas – período suficiente para que o vacinador tenha tempo para monitorar a temperatura e assim, não danificar as vacinas. Bem como, atender os critérios de segurança e qualidade dos imunobiológicos.

Em entrevista à Rádio Araranguá, no programa Estúdio 95, apresentado por Juliana Oliveira, a secretária de Saúde, Daiane Biff e a enfermeira Vera, do departamento de imunização, falaram sobre a chegada dos equipamentos e como deve funcionar a vacinação. “É uma aquisição muito importante para nós. Apesar de não ser algo de alto valor monetário, faz uma grande diferença no trabalho e no dia a dia. Principalmente na imunização”, destacou Daiane.

A secretária ressalta que as câmaras frias eram uma recomendação do Ministério da Saúde há muito tempo. Porém, a secretaria seguia utilizando geladeiras comuns. “Ainda de muitos anos, utilizávamos geladeiras comuns. Que faz o valor de refração, porém exige todo um acompanhamento rigoroso de temperatura. Com a câmara fria, temos mais certeza do que estamos fazendo. Esse é o equipamento correto. Caso aconteça uma queda de energia, a temperatura permanecerá adequada”.

O uso do equipamento adequado traz a procedência correta para as vacinas. Segundo Daiane, as vacinas são muito caras. Com as câmaras, o risco diminui o risco de perder a vacina, caso caia a energia.

Para Vera, a conquista das câmaras fria registra grande importância para o setor da Saúde no município. “Sabemos da dificuldade que é. Nos finais de semana as vacinadoras ficavam responsáveis de estarem monitorando as salas de vacina. Com a chegada das câmaras, teremos muito mais autonomia. Visto que suportam de 12 a 48 horas de duração, caso caia a energia. Além disso, todas as câmaras frias, possuem um discador, que quando cair a energia, será informado no telefone das vacinadoras”.

Confira as unidades que receberão câmara fria:

    • UBS Sanga da Toca;

    • UBS Sanga da Areia;

    • UBS Polícia Rodoviária;

    • UBS Cidade Alta;

    • UBS Urussanguinha;

    • UBS Vila São José;

    • UBS Morro dos Conventos;

    • UBS Hercílio Luz;

    • UBS Jardim das Avenidas.