Economia Dalva Leme: ainda menina começou vendendo Avon e se tornou empresária referência no setor do comércio

Dalva Leme: ainda menina começou vendendo Avon e se tornou empresária referência no setor do comércio

11/07/2024 - 09h10

No programa 95.5 Entrevista da Rádio Araranguá, apresentado por Gregório Silveira, a empresária Dalva Maria Machado Leme detalhou sua notável trajetória de sucesso. Natural de Araranguá, Dalva é filha de João de Souza Machado, conhecido como Joca, e Herna Hahn Machado. Ela foi criada em uma família de oito filhos, onde o equilíbrio entre trabalho e estudos era uma prioridade, sempre com ênfase na educação.

“Venho de um tempo onde o dinheiro não existia, as coisas funcionavam diferente do que é hoje. Minha mãe, sempre muito cuidadosa, nos ensinava os valores da casa. Não havia o que reclamarmos, trabalhávamos muito”, destacou.

Desde muito jovem, aos 12 anos, Dalva iniciou sua carreira como representante da Avon. Sua habilidade com vendas chamou a atenção de uma cliente, que a convidou para ser secretária na Imobiliária Coseval aos 14 anos. Com a autorização de sua mãe, Dalva aceitou o desafio, conciliando três atividades diárias, incluindo os estudos.

“Saia com uma menina vendendo Avon nas casas. Não havia essa preocupação com a segurança, as coisas eram diferentes. Me lembro que o primeiro dinheiro livre que recebi, representava uma certa liberdade. Com ele, comprei um chinelo havaianas. Vendi Avon durante muitos anos. Até o dia em que fui convidada para trabalhar na Coseval. Com isso, trabalhei meio período durante três anos. A responsabilidade sempre foi algo que me marcou muito, desde novinha”, ressaltou.

Aprendeu a persistência com seu pai, ex-agricultor e comerciante, e a paixão pelo trabalho e criatividade com sua mãe, uma das costureiras mais conhecidas da história do município. Aos 19 anos, foi aprovada no Concurso dos Correios, onde trabalhou como operadora de tele-impressora. No entanto, seu espírito empreendedor prevaleceu.

“Aos 18 anos fiquei sabendo que aconteceria um concurso para trabalhar nos Correios. Com isso, decidi participar. Foi onde tive a felicidade de ter passado para trabalhar como operadora de tele-impressora. Foi uma experiência diferente de tudo que havia feito. Na época, era telegramas que entregávamos. O avanço da época era a máquina de FAX. Como havia me formado, o sonho de empreender surgiu”, explicou.

Dois anos depois, formada em Administração pela Unesc, Dalva decidiu deixar a estabilidade de servidora federal. Junto com sua irmã Maristela Machado, ela corajosamente fundou um comércio de calçados femininos. A escolha se mostrou acertada, e Dalva se tornou uma referência no comércio de peças femininas, construindo uma carreira sólida.

“Acredito que meu lado empreendedor veio da minha mãe. Em uma decisão conjunta com minha irmã e minha cunhada, decidimos abrir a Maria Bonita Calçados. A loja foi um sucesso. Tínhamos muita clientela, viajávamos muito atrás dos calçados. Até hoje temos clientes que lembram dos calçados. Passamos por momentos difíceis, como a troca de moeda nacional. Mas em tudo buscamos sempre nos aprimorar e melhorar”, enfatizou.

Além de seu sucesso empresarial, Dalva é a atual presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Araranguá (CDL), continuando a influenciar e inspirar outros empreendedores. “Hoje em dia, estamos à frente da Loja Lemmer, onde trabalhamos com um mix de produtos relacionados a moda feminina, que atende toda a nossa clientela. Quem determina o que deseja são nossos clientes. Nós empresários, somos meros prestadores de serviço. Olhar para trás e ver tudo que passamos é muito gratificante. Além disso, estou como presidente da CDL. Fato que me alegra muito, poder ajudar e contribuir com o desenvolvimento de Araranguá, impulsionando o empreendedorismo e auxiliando empresários”, concluiu.