Geral “Nosso índice de faltas é de 60%”, alerta secretária de Araranguá, sobre o não comparecimento de pacientes em procedimentos médicos

“Nosso índice de faltas é de 60%”, alerta secretária de Araranguá, sobre o não comparecimento de pacientes em procedimentos médicos

14/07/2023 - 15h46

Recentemente foi divulgado um levantamento realizado pela secretaria de Saúde de Araranguá, sobre o aumento no número de faltas em exames e consultas médicas. Para falar sobre o assunto, a secretária da pasta no município, Daiane Biff, em entrevista à Rádio Araranguá, destacou. “A questão das faltas já existe há muito tempo, mas o que temos percebido é que tem aumentado. Queremos chamar a atenção do cidadão a responsabilidade de no momento em que tem o exame, comparecer”.

A secretária ressalta que as faltas do cidadão, implicam no aumento das filas. “Sabemos que o SUS não dá conta de tudo, com isso, possui muitas filas, na baixa, média e alta complexidade. Na questão das faltas, elas diretamente implicam no aumento dessas filas. Com isso, cada vez mais temos mais dificuldades em sanar essas filas. Esses exames não são apenas marcados pelo município, mas também pelo Estado. Quando sai um exame desse, é explicado para a pessoa o dia, local e horário. A partir disso, é perguntado para a pessoa se ela quer ir. No caso da colonoscopia, que é um exame mais elaborado, ondo o paciente precisa se preparar mais, o mesmo, assina e retira o exame. Quando chega no dia, a pessoa falta. Estamos hoje em dia, com uma média de 70% de faltas na colonoscopia. A cada 10 pessoas, sete não comparecem”.

Daiane ainda explica que a dificuldade em encontrar prestadores que queiram realizar serviços pelo SUS está cada vez maior. “O SUS não paga o que a rede particular paga. O cidadão que vai em uma consulta psiquiátrica particular, vai pagar R$ 500. No SUS a gente vai conseguir pagar R$ 65. Com isso, temos poucos prestadores que queiram”. 

A secretária acrescenta que o paciente que não puder comparecer, por algum motivo, deve com antecedência, ligar ao departamento de Saúde para comunicar. “Quando os exames são agendados pela central estadual, precisa ter ao menos três dias de aviso com antecedência. Nesse período sinalizamos à central e colocamos outra pessoa no lugar. Não acontece de um dia para o outro. Entendemos que tem situação que não tem como desmarcar, mas queremos chamar a atenção para o aumento nessas faltas que está demais. Tem meses que em exames de laboratório, chega a 60% de faltas”.

Um dos exames em que a situação está mais complicada é o ultrassom, diz Daiane. “É uma fila eterna, que tem muita procura, solicitação e gente que precisa. Porém, é um dos índices que mais temos faltas. No ultrassom de abdômen total mês passado, tivemos 75% de faltas, tudo de pessoas que estavam confirmadas. Temos muitas faltas em cirurgia. O cidadão precisa entender que o pessoal da saúde se prepara para atender ela, quando acontece a falta, não é simples colocar outra pessoa no local. Nosso índice geral de faltas é de 60%, mais da metade dos pacientes confirmados, faltam”.

Para o cidadão acompanhar sua situação na fila do SUS, deve acessar o site listadeespera.saude.sc.gov.br. Na página, o mesmo, deve colocar seu CPF ou cartão SUS. No próprio site a pessoa já recebe a previsão média de atendimento.