Geral Projeto Arco-Íris mobiliza voluntários na limpeza e preservação do Rio Araranguá

Projeto Arco-Íris mobiliza voluntários na limpeza e preservação do Rio Araranguá

02/12/2023 - 14h49

Proteger o meio ambiente é fundamental para nosso presente e futuro. Garantir que as próximas gerações tenham qualidade de vida depende única e exclusivamente da preservação dos recursos hídricos, flora e fauna. Visando a conscientizar as pessoas da importância deste tema, a FAMA (Fundação de Apoio ao Meio Ambiente de Araranguá), juntamente com a Administração Municipal, e o Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), realizaram neste sábado, 02, a terceira edição do Projeto Arco-íris, um mutirão cuja finalidade é recolher entulhos descartados junto ao Rio Araranguá e suas margens.

Voluntários de todas idades participaram da ação que recolheu centenas de sacos de lixo descartados incorretamente no rio. O superintendente da FAMA, Maureci Rodrigues, destaca a importância do projeto.  “Todo esse movimento que é feito com as instituições, com as entidades parceiras, com os voluntários, e principalmente com a mídia divulgando gera a conscientização da população de que realmente não se deve colocar lixo nos rios”, declara.  

A qualidade de vida das gerações futuras está diretamente ligada a ações que podemos realizar no presente. O diretor geral do SAMAE, Jairo do Canto Costa, ressalta o compromisso com o projeto. “Temos que fazer nossa parte e mostrar a importância do rio, que é nosso pulmão. Cuidar para que as futuras gerações e nossas crianças possam ter o nosso rio vivo e limpo”.  

A beleza do Rio Araranguá com suas cores diferentes, a diversidade de sua flora e fauna devem ser mantidas e protegidas, e para isso é necessário despertar a população para que façam o destino correto do lixo, é o que destaca o prefeito, Cesar Cesa. “A beleza do nosso rio tem que ser mantida e sua limpeza também. A gente as vezes se surpreende negativamente quando chega aqui e se depara com casco de TV no rio, recipiente de veneno, capacete velho, tem lugar para isso, e não é o rio. Tudo isso atrapalha e contamina, mas já estamos na terceira edição, e se compararmos com a primeira, podemos ver uma evolução”, comenta Cesar.

Participando pela primeira vez do evento, o aluno da Unesc, Henrique da Rocha Daniel, lembra que projeto visa também melhorar a saúde da população. “Devemos ressaltar o quanto isso impacta na saúde da população e no seu bem estar, e se cada um fizer um pouquinho teremos um mundo melhor”.

O evento contou com apoio de várias entidades dedicadas a preservação da natureza, como Polícia Ambiental, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Unesc, UFSC, Educamar, Colônia de Pescadores Z-16, Pescadores de Caniço, Comitê Araranguá, Afluentes do Mampituba, Leko Náutica, grupos de Canoagem, Jets Ski, Caiaques, Surf e Stand Up-padle.

O projeto teve início às 8:30h na região de Ilhas, seguiu até a área central do município.