Política Almides da Rosa e os desafios à frente da AMESC

Almides da Rosa e os desafios à frente da AMESC

27/02/2023 - 10h44

Tomou posse na última sexta-feira, 24, na presidência da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul de Santa Catarina), o prefeito de Santa Rosa, Almides da Rosa. A posse foi prestigiada pelos demais prefeitos da associação e também pelos deputados estaduais Thiago Zilli do MDB, José Milton Scheffer, do PP, Rodrigo Minotto, do PDT, e a deputada federal Giovania de Sá, do PSDB. O prefeito manteve o compromisso de continuar lutando pelas principais realizações de obras, que possam melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

A diretoria

A nova diretoria terá no Conselho Executivo o prefeito de Meleiro, Eder Mattos como 1º vice-presidente; o prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini como 2º vice-presidente; o prefeito de Turvo, Sandro Cirimbelli, como 1º secretário e o prefeito de Maracajá, Anibal Brambilla como 2º secretário. Como titulares do Conselho Fiscal foram nomeados: prefeito de Balneário Gaivota, Everaldo dos Santos; prefeito de Araranguá, Cesar Cesa; prefeito de Jacinto Machado, João Batista Mezzari; prefeito de Passo de Torres, Valmir Augusto Rodrigues e o prefeito de Ermo, Paulo Dela Vecchia.

Como suplentes do Conselho Fiscal: prefeito de Morro grande, Clélio Daniel Olivo; prefeito de Praia Grande, Elizandro Pereira Machado; prefeita de Sombrio, Gislaine Cunha; prefeito de São João do Sul, Moacir Francisco Teixeira e o prefeito de Timbé do Sul, Roberto Biava.

Problema I

Uma das obras que o novo presidente terá que acompanhar de perto é a BR 285, a Serra da Rocinha. A obra, que tem promessa de entrega este ano, vem apresentando problemas. Neste final de semana o trânsito de veículos foi completamente interrompido devido à queda de barreira. Como a obra sequer foi inaugurada e já apresentou problemas pontuais é bom ficar de olho.

Problema II

O segundo problema é a Serra do Faxinal. A obra continua cada dia com sua agonia. Por último, saiu a licença ambiental para suprimir vegetação rasteira e a obra deve seguir. Como tenho acompanhado há mais de 20 anos a sonhada obra, que nunca saiu do papel, é bom continuar acompanhando os próximos capítulos da novela.

Problema III

Outro problema é obra começada em Jacinto Machado e que está paralisada. O deputado José Milton Scheffer conversou com o governador Jorginho Mello que lhe deu garantia de que a vistoria da obra será rápida e que o asfalto poderá ter continuidade. O problema é que a empresa responsável pelo trecho está pedindo algo em torno de R$ 13 milhões a mais para continuar a obra.

Problema IV

Já a rodovia que se chamou interpraias e agora é Caminhos do Mar, parece que vai ficar aos pedaços. Nas antigas foi feito um trecho entre Içara e Rincão, e parecia que a obra sairia do papel. O tempo passou e agora recomeçou de Passo de Torres na direção de Araranguá. Mas, ao que tudo indica, deve parar em Balneário Gaivota até a divisa do o Arroio do Silva.

Encaminhou

Com tantos problemas e acompanhamento de obras, o deputado estadual, Thiago Zilli, está fazendo a sua parte. Tem aberto o caminho para os prefeitos de nossa região junto ao governo do Estado. Inclusive, o secretário de Infraestrutura, Jerry Comper, nem havia sentado na cadeira e o deputado já levou prefeitos de nossa região para uma volta de apresentação.

Passarela

Pedido feito durante a edição do projeto Câmara na Comunidade, foi atendido pela administração de Araranguá. Uma passarela de acesso ao mar foi o pedido dos moradores do Paiquerê. A obra foi entregue neste final de semana à população.

Insatisfação

Em Balneário Gaivota o transporte coletivo tem gerado reclamações. Segundo os usuários, a empresa responsável pela linha Sombrio\Gaivota não cumpre com os horários estabelecidos e os ônibus estão sem as devidas condições de segurança. O prefeito Kekinha, já conversou com a direção da empresa, que assumiu o compromisso de melhorar o serviço prestado. Mas, se os problemas continuarem, o prefeito disse que vai denunciar ao DETER e ao Ministério Público.

Continua

Em Araranguá a situação do transporte coletivo urbano continua como antes. Diferentemente de Gaivota, onde a linha é intermunicipal, aqui são linhas dentro dos limites do município. O problema de a empresa Viação Cidade estar trabalhando mediante decisão judicial, impede novos investimentos. Uma licitação foi feita, mas está sendo refeita. O que se tem atualmente, são linhas e horários que não conseguem ser atrativos aos usuários e pontos de parada sem qualquer abrigo aos passageiros, que ainda esperam pelo transporte, porque a maioria já resolveu seu problema de locomoção de outra forma.