Geral Igreja Matriz de Araranguá pode ser tombada e vereadores cobram do governo do Estado reformas do colégio estadual e teatro Célia Belizária

Igreja Matriz de Araranguá pode ser tombada e vereadores cobram do governo do Estado reformas do colégio estadual e teatro Célia Belizária

23/05/2024 - 08h17

Decisão da justiça em segunda instância relacionada a reforma da igreja matriz de Araranguá não fecha a porta para a reforma, mas recomenda algumas condicionantes. Diferentemente da decisão em primeira instância em que o juiz praticamente bateu o martelo, em segunda instância existe o reconhecimento da necessidade da reforma, até por uma questão de segurança dos fiéis. Também não há nada que proíba a execução do projeto da cúria em relação ao templo. Mas faz a recomendação de que qualquer mudança em obras de arte seja comunicada à justiça local.

Tombamento

Enquanto isso um representante do patrimônio cultural de SC, ligado a Fundação Catarinense de Cultura esteve em Araranguá para observar a situação do prédio, ver o que está sendo apresentado pela cúria em relação à reforma. Houve pedido de tombamento do prédio da igreja matriz. Tudo foi mostrado, inclusive a situação do forro, das torres e a necessidade da reforma. Mesmo que haja o tombamento, pode haver recurso.

Vai sair

Apesar das resistências já existe uma empresa contratada e que, segundo informações deve começar a reforma em meados de agosto. Mas existe a possibilidade de as missas e eventos já passarem a ser realizados no salão da igreja matriz. Uma vistoria do corpo de bombeiros pode apontar para a necessidade.

Prefeitos em Brasília

Prefeitos de todo o Brasil estão em Brasília para mais uma marcha. O evento é utilizado pelos prefeitos para manter contatos com deputados e senadores, além de visitas a ministérios e o contato mais direto com assessores que possam desencravar projetos e verbas. Claro que as bandeiras comuns e pedidos ao governo federal também é ponto de discussão.

No gabinete

Ontem em Brasília, o prefeito do Balneário Arroio do Silva Evandro Scaini e o vereador Vanderlei de Souza, o Lei do Mar Azul, visitaram o gabinete do senador Esperidião Amim. Além de apresentar algumas demandas do município, já deixaram o convite para a festa do Peixe.

Moção

A vereadora Lena Périco e o vereador Zico, aprovaram na sessão de ontem na Câmara de Vereadores de Araranguá moção de reconhecimento ao Caverá Parque. A moção foi aprovada com a presença dos empresários Heraldo Vieira e Tamarindo Salib. Heraldo agradeceu a Câmara de Vereadores pelo reconhecimento do empreendimento da família e também as aprovações de destinações de verbas para as realizações do CTG Crioulos do Caverá.

Teatro

Durante a sessão o vereador Jair Anastácio aprovou requerimento onde pede que seja encaminhado expediente ao secretário de Estado da Educação, Aristides Cimadon, solicitando informações acerca da reabertura das atividades do Teatro Célia Belizário de Souza, que se encontra em situação precária. O vereador defende que a administração municipal possa gerenciar o teatro abrindo a participação da população. Também cobrou do governo do Estado o término da obra do colégio estadual e a recuperação do teatro.

Críticas

O vereador Diego Pires disse que o governo do Estado nos primeiros meses de mandato já provou que não tem zelo nenhum pelo teatro. Também defendeu que o município passe a ser o gestor para cuidar e permitir que ele seja utilizado pela população. Já o vereador Luís da Farmácia lembrou que a sessão de uso já foi solicitada pelo prefeito Cesar ao governador do Estado, mas não houve sequer uma resposta. O vereador também afirmou se tratar de um descaso do governo estadual para com o municipal. “Nós já poderíamos estar usando o espaço que é cultural, mas não podemos porque não tem sessão de uso”, lamentou.

Anteprojeto

O vereador Luciano Pires aprovou o anteprojeto que institui o selo “Feito em Araranguá”. O vereador defende que todos os produtos, seja de qual seguimento for produzido em Araranguá receba o selo. Em à parte, o vereador Pedro Paulo de Souza, o Paulinho sugeriu que o selo seja denominado Pires, uma alusão ao sobrenome do vereador Luciano.