Geral Show nacional abre as comemorações dos 75 anos da Rádio Araranguá

Show nacional abre as comemorações dos 75 anos da Rádio Araranguá

07/01/2024 - 10h04

A Rádio Araranguá completa na próxima terça-feira, 09, 75 anos e ontem, no Balneário Arroio do Silva as comemorações tiveram início com o show dos Garotos de Ouro. Uma multidão se reuniu na quadra central da cidade.

O apresentador Saulo Machado subiu ao palco e, oficialmente, decretou a abertura das comemorações.

História

A Rádio Araranguá é o veículo de comunicação de maior credibilidade da região.

Em atividade desde janeiro de 1949 é testemunha dos principais fatos que fazem o cotidiano do Vale do Araranguá e Sul Catarinense.

A jornalística é desenvolvida por uma equipe profissional experiente com reconhecimento público comprovado.

Ser porta-voz dos clamores e anseios populares. Esse é o segredo da Rádio Araranguá, líder absoluta de audiência em toda a região.

Em 9 de janeiro de 1949, às dez horas, era colocada no ar, em caráter definitivo, devidamente legalizada, operando na faixa de 1.550 quilociclos e com o prefixo ZYT-3, ondas médias, a RÁDIO ARARANGUÁ.

Seu objetivo inicial era, através da rádio-difusão, prestação de serviços comunitários de uma forma geral, com abrangência em todo o Vale.

Nos meses que antecederam sua inauguração, inúmeras providências foram tomadas, tais como: instalação do estúdio, que foi localizado na Avenida Sete de Setembro, em duas salas da frente da residência do Sr. Doca Maciel, cujo prédio até hoje existe; construção do mastro radiante (torre de transmissão) e do transmissor fornecido pela Sociedade Técnica Paulista (STP), localizados em terreno onde até então terminava a Avenida Engenheiro Mesquita, na junção com a Sete de Setembro.

A instalação da torre e do transmissor foi supervisionada por um técnico da STP, com a colaboração do Sr. Hermes Mendonça.

Fazia parte da aparelhagem, além da mesa de som instalada no estúdio, uma maleta para transmissões externas, que na época se constituía em novidade, em face de precariedade dos meios de comunicação. Com tal apetrecho foi possível, nos primórdios da emissora, transmitir-se futebol, entrevistas fora do estúdio, como foi feito com o então Ministro da Agricultura, Daniel Carvalho, dentro de um vagão da Estrada de Ferro D. Tereza Cristina, em Barranca.

A emissora, no início de seus trabalhos, por vários anos, transmitia recados dos mais diversos, dedicatórias musicais, notas de aniversários e falecimentos, aumentando gradualmente seu envolvimento com o público ouvinte, inclusive nos assuntos que diziam respeito ao Vale do Araranguá.

Chegou a manter, em seu primeiro ano de atividade, programa de auditório, tendo como local o então Cine Roxy.

Marcaram época na história da emissora, programas tais com a “Hora do Recado”, André Martins e a Saudade, apresentação de Violeiros e Cantadores, Transmissão de Futebol, Novela em Capítulos, escrita por Osmar Cook, denominada “Renúncia”, com a participação de elenco local, do qual fez parte Waldemar Pacheco, o primeiro locutor da emissora e de Olga Maria Abe, ambos solteiros, que na vida real acabaram se casando, tal como na novela.

É bom lembrar que a emissora, nos seus primórdios e por alguns anos, teve a participação de locutores como Astí Pereira, Bernardino Pacheco, Humberto Mendonça, Osmar Nunes, Aristides Ostetto, César Machado, Aderbal Machado, Antônio Rosa, Enio Ouriques, João Batista Gonçalves (Sarará), Arnaldo Bittencourt e tantos outros.

Na parte técnica, quer operando na mesa de som, quer nos transmissores, participaram ativamente Laurides Oliveira, Walter Oliveira, Sai e Vivaldi Galdino.

Na apresentação de música sertaneja e gauchesca, destaque para Manoel Silvano de Souza (Gula) e Tidão.

Desde o início de suas transmissões, a emissora apresentava “Jornal Falado”, onde era inserido comentário diário, principalmente de caráter político, o que redundou na quebra do transmissor, onde duas válvulas 807 foram quebradas e o Auto-falante instalado na Praça Hercílio Luz jogado no rio.

Na década de 80 a emissora viveu um momento diferenciado com a chegada de muitos profissionais de outras cidades, principalmente oriundos do vizinho estado do Rio Grande do Sul.

Atualmente é um modelo de sucesso que serve de exemplo para inúmeras emissoras de todo o País que aqui buscam mais informações para suas atividades nas cidades de origem.