Geral Até quando os araranguaenses vão ter que percorrer 30 km para tirar foto para a CNH?

Até quando os araranguaenses vão ter que percorrer 30 km para tirar foto para a CNH?

29/12/2022 - 14h56

Muitos motoristas de Araranguá, que precisam renovar a CNH, estão sendo pegos de surpresa. Todo o processo é feito no município, porém a fotografia do documento, somente em Sombrio ou Turvo, cerca de 30 quilômetros de distância.

O motivo é que o prédio onde funcionava o Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de Araranguá, estava com rachaduras e precisou ser evacuado, como explica o delegado regional, Diego de Haro. “É importante sempre relembrar para a população que o que aconteceu não teve a omissão de quem estava no prédio. Quando assumimos a gestão da delegacia regional, em 2015, nós já detectamos que o prédio apresentava algumas rachaduras. E em razão das rachaduras, imediatamente foram tomadas as medidas com o objetivo de solicitar a reforma da estrutura. Para a reforma de um imóvel pertencente à administração pública não basta ter o dinheiro, é preciso seguir trâmites legais e esses trâmites são burocráticos e por muitas vezes demorados. Então até o momento de chegar a autorização, a licitação concluída para a reforma do prédio da delegacia regional, passaram pelo menos dois anos”.

Prédio evacuado

O delegado ainda adianta que o planejamento precisou ser refeito após a desistência da empresa que faria a reforma. “Quando a empresa que venceu a licitação veio para fazer a reforma, ela fez a vistorias e tivemos a informação da Polícia Civil em Florianópolis, que a empresa teria rescindido o contrato, mas não sei os motivos. Isso, fez com que voltássemos à estaca zero. Então tudo se iniciou novamente no processo de nova reforma. Volto a repetir, não foi por falta da nossa iniciativa. A tramitação voltou a acontecer e engenheiros da infraestrutura de Santa Catarina vistoriaram o prédio e, sem afirmar que poderia ruir ou não, mas por segurança, eles entenderam ser melhor desocupar e não atender mais o público nesse espaço. Eu concordo, pois na dúvida é melhor pecar pelo zelo do que deixar acontecer”.

Mudança improvisada

“Fomos pegos de surpresa, pois as informações vieram muito rápido e temos que continuar o atendimento ao público. Por isso, a gente teve que deslocar parte do nosso atendimento para a primeira DP de Araranguá que fica naquele mesmo complexo. O trânsito (departamento) foi deslocado para lá em uma estrutura precária e temos ciência disso. Mas nós precisamos usar uma estrutura de imóvel público, ou seja, tem que ter a internet do Estado, que nós chamamos de intranet”, explica o delegado regional.

Novo imóvel

“Nós tínhamos que achar um outro imóvel para realocação, enquanto o da delegacia regional estivesse sobre avaliação. Além de bem estruturado, deveria também estar bem localizado para facilitar a chegada do público. Nós nos esforçamos e conseguimos achar esse imóvel. Agora está em processo de reforma. Colocação de divisórias e estrutura elétrica para nós podermos entrar. Quando o imóvel estiver pronto, nós iremos sem usar ar condicionado, que ainda vai demorar um pouco para ser estalado. O objetivo é já montar nossa estrutura para atender a população pela manhã e na parte tarde, com as fotografias, com os testes, tudo que efetivamente faz parte do nosso trabalho. Hoje isso acontece de uma forma precária, principalmente as fotos”, reconhece o delegado  

Planejamento

“Estamos prestando todos os serviços inerentes ao departamento de trânsito, só que não em Araranguá e também não em tempo integral. Quando surgiu essa situação nós tentamos transferir toda a estrutura da Ciretran para Criciúma. Mas faríamos o cidadão de Araranguá ter que se deslocar até Criciúma para tirar um documento de veículo. Resolvemos então abandonar essa ideia. Pensamos na sequência em transferir para Sombrio que já tem uma estrutura montada, mas da mesma forma o cidadão teria que se deslocar para retirar o documento. Então montamos, aqui em Araranguá, mesmo que apenas no contra turno (Da 1ª DP), para não haver esse deslocamento”.

30 quilômetros para tirar fotografia

“A única situação que, infelizmente, nós não conseguimos resolver, foi a da fotografia. Não achamos um espaço que tivesse toda essa estrutura. A prefeitura de Araranguá, e aqui eu exalto a parceria do prefeito Cesar, assim que tomou conhecimento conseguiu disponibilizar um imóvel público. Então ele (prefeito) e o presidente Jairo Costa, do Samae, cederam um espaço na sede do Samae para colocar os testes teóricos, que ficaram um tempo sem serem feitos. Mas ficamos com a questão das fotografias, que tivemos que transferir para Sombrio e Turvo. Eu sei que isso não vai servir de consolo, mas pelo menos os cidadãos estão tendo o serviço, ou em Sombrio ou em Turvo”, explicou Diego de Haro.  

Nova estrutura e mudança em definitivo

“O prédio fica aqui no centro, nas proximidades da Fiat. A previsão do proprietário é até o final desse ano entregar a estrutura para nós. Teremos que, a partir daí, instalar a nossa rede lógica, ou seja, a nossa intranet. E o próximo passo será a mudança. Eu não gosto de fazer promessa, mas espero que em janeiro já estejamos no prédio novo”, conclui o delegado.  

Confira a entrevista com o delegado regional