Política “O problema não são os cães de rua, mas as pessoas que deixam seus cães procriarem”, diz vereadora sobre animais abandonados

“O problema não são os cães de rua, mas as pessoas que deixam seus cães procriarem”, diz vereadora sobre animais abandonados

03/07/2023 - 14h56

O aumento de cães abandonados em Araranguá, vem preocupando a população. De acordo com os moradores, os animais são agressivos e causam ameaça às pessoas que circulam no local onde eles ficam. Referente a isso, a vereadora e atual defensora da causa animal, Lena Périco, foi até o Ministério Público buscar orientações para resolver a situação. 

Em entrevista à Rádio Araranguá, no programa Dia a Dia, apresentado por Saulo Machado, a vereadora falou sobre a visita. “A primeira atitude que tomei, foi ir na secretaria de Saúde. Vamos realizar um levantamento e acompanhar junto ao departamento de Bem-Estar Animal, o cadastramento desses cães comunitários. São várias situações que estão acontecendo e isso está me deixando muito chateada. Em 2014 fizemos uma lei para proteger esses cães como cães comunitários. Já falei e volto a reforçar, não é a prefeitura comprar um terreno e colocar esses animais lá, que amanhã terão mil cães. A solução é a conscientização das crianças e das famílias e fazer a castração”.

Ovelhas mortas no Caverazinho

Recentemente um acontecimento deixou a comunidade do Bairro Caverazinho muito preocupada. Foram aproximadamente 22 ovelhas mortas por cães soltos. “Há um mês, um amigo nosso me procurou e contou a situação. Esse amigo possui um sítio no bairro Caverazinho há muito tempo, porém com a chegada dos loteamentos, as pessoas foram construindo casas sem os muros. Além disso, tem a questão dos cães comunitários e fomos até lá ver a situação. Foram mortas 22 ovelhas e isso me chocou. Sabemos que esse é o extinto do animal, nós os domesticamos, porém está lá a filmagem dos cães”.

Visita a promotoria

Sobre a visita a promotoria, Lena acrescentou que os casos serão tratados pessoalmente pelo promotor. “Eu fui falar com o promotor e expus a situação. O promotor me falou que vai tratar caso a caso. O doutor vai pesquisar e averiguar essa situação do Caverazinho e também ressaltou que a partir do momento em que a pessoa está com o cachorro dentro do seu espaço particular, o animal passa a ser responsabilidade da pessoa. Estamos realizando um levantamento e vendo se realmente esses cães são comunitários, porque se realmente são, precisam ser acompanhados pela prefeitura”.

Hospital Regional de Araranguá

Sobre casos de acidentes de pacientes que saem do hospital e são atacados por esses cães, a vereadora falou. “As casinhas dos cães estavam onde as pessoas iam ser atendidas. O local não pode ser esse. As pessoas do hospital realizaram um monitoramento e desses animais que ali estavam, três deles têm dono. Se o cão tem dono, a responsabilidade é do dono. Estou monitorando essas situações junto ao promotor”.

Ações

A vereadora ressaltou que serão tomadas ações para buscar uma resolução para o problema. “Em um primeiro momento, o departamento de Bem-Estar Animal vai ir até os bairros e faz um levantamento de cadastro de cães soltos, que estão na rua e em situação de vulnerabilidade e todos esses cães serão castrados por bairros. O problema não são os cães de rua, mas as pessoas que deixam seus cães procriarem. A irresponsabilidade das pessoas é muito grande”.